MT, 11/12/17

BRASIL : Segurança do Rio avalia que operação na Rocinha foi muito 'bem-sucedida'

GAZETA DIGITAL

  Apesar de o traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, chefe do tráfico na Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, não ter sido capturado e de ter havido registros de casos de violência na madrugada desta sexta-feira, 29, na comunidade, a avaliação da cúpula da segurança do Rio é de que a operação foi bem-sucedida. Em coletiva nesta sexta-feira, no Centro Integrado de Comando e Controle, o brigadeiro Ricardo José Campos, chefe do Estado-maior conjunto da ação, disse que a saída das tropas da favela depois de uma semana de operação foi decidida diante da constatação de que "a situação estava estabilizada". O secretário estadual de Segurança, Roberto Sá, afirmou que os 1 mil homens das Forças Armadas serão substituídos por 500 policiais militares, que farão operações de cerco em 15 pontos e de contenção em outros 14. Segundo o delegado Antonio Ricardo Nunes, da 11ª Delegacia de Polícia (Rocinha), 81 criminosos foram identificados e 54 mandados de prisões expedidos. Além disso, afirmou, 11 pessoas foram presas na Rocinha e outras seis fora da comunidade. Vladimir Platonow/Agência Brasil

A avaliação da cúpula da segurança do Rio é de que a operação foi bem-sucedida. "Nos pontos de contenção faremos abordagens e haverá ainda patrulhamento para identificar pessoas que ainda estejam dentro da comunidade", afirmou o coronel da PM Henrique Pires, do Estado-Maior operacional. Moradores da Rocinha contaram que muitos traficantes permanecem na comunidade, escondidos em becos e vielas e circulando apenas à noite. Rogério 157, também continuaria na comunidade, apesar da operação. "Vamos checar também todas as denúncias que chegarem até nós. Estamos a serviço da população", garantiu o secretário. Segundo o delegado Antonio Ricardo Nunes, a violência registrada nesta madrugada, após a saída das tropas, seria um "desdobramento" das ações feitas na última semana. O homem esfaqueado seria um traficante, que teria sido ferido em vingança contra a tortura de dois jovens nesta quinta-feira, 28. A entrevista tinha por objetivo fazer o balanço dos dois meses de operações conjuntas das forças de segurança dos governos federal e estadual. De acordo com o balanço apresentado, nos últimos 60 dias, sete homens foram mortos; 117, presos; e seis menores, apreendidos. Foram apreendidos 26 fuzis, 19 pistolas, uma espingarda calibre 12, dois revólveres, e 122 carregadores de fuzis, 13 carregadores de pistola, 3.622 munições, 19 granadas, dez bombas de fabricação caseira e sete armas falsas. Também foram apreendidos 2,2 toneladas de maconha, 14 quilos de cocaína, 1,5 kg de haxixe, 1.497 sacolés de drogas e 939 trouxinhas de drogas. 

Publicidade

Publicidade