MT, 21/09/17

POLÍTICA DE MT: Fábio Garcia diz que ainda vai 'brigar' com Valtenir pelo comando do PSB

GAZETA DIGITAL

Celly Silva, repórter do GD     Apesar de já estar articulando sua mudança e, possivelmente, de todo o grupo político composto por deputados estaduais e pelo ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, que deixariam o Partido Socialista Brasileiro (PSB) para os Democratas (DEM), após o retorno de Valtenir Pereira, o deputado federal Fábio Garcia afirma que ainda pretende “brigar” pela atual legenda, da qual ele era presidente estadual. O motivo principal para a permanência é a ausência, no momento, de uma janela partidária, ou seja, do período estabelecido pela Justiça eleitoral para que os políticos possam mudar de legendas sem correr o risco de perder o mandato por infidelidade partidária. Chico Ferreira

Deputado federal Fábio Garcia “Hoje a gente não tem janela pra mudar de partido. Enquanto a gente não tiver uma possibilidade segura pra mudar de partido, não o farei. E eu vou continuar brigando dentro do PSB”, disse Garcia à Rádio Capital FM, nesta segunda-feira (31). Segundo o parlamentar, ainda haverá “muito enfrentamento pela frente dentro do PSB”. Isso tanto do ponto de vista jurídico, quanto político. “Na justiça, a gente ganhou uma liminar onde o juiz acatou a nossa discussão no mérito, ele viu que tinha ilegalidade na decisão do partido”, disse em relação à sua destituição do cargo de presidente estadual por parte da diretoria nacional do PSB, que colocou Valtenir Pereira em seu lugar. Do ponto de vista político, Garcia aposta suas fichas na eleição da diretoria nacional do partido, que vai ocorrer em outubro. “Isso pode definir bastante os rumos do PSB nacionalmente. Então, enquanto nós não tivermos uma saída segura, nós vamos continuar”, afirmou.  O atrito dentro do PSB começou há cerca de três meses, quando Fábio Garcia e outros deputados federais da legenda votaram a favor da reforma trabalhista, contrariando a orientação do diretório nacional, e acabaram se tornando alvos da comissão de ética e também foram destituídos dos cargos de diretoria. A punição, no entanto, se estendeu a toda a diretoria de Mato Grosso e, culminou com o retorno de Valtenir Pereira para a legenda, já para o cargo antes ocupado por Garcia, e com a destituição em massa dos presidentes municipais do PSB, em Mato Grosso. Por conta disso, Garcia e Valtenir começaram uma batalha jurídica para definir quem fica no comando. Por outro lado, o grupo contrário a Valtenir também já se articula para uma possível "debandada".  

Pm recupera moto tomada em assalto em Jaciara
+ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Publicidade

Publicidade